logo

Artesãos e quadrilhas juninas são ouvidos para traçar planejamento do Mossoró Cidade Junina 2022

Artesãos e quadrilhas juninas são ouvidos para traçar planejamento do Mossoró Cidade Junina 2022

Os artesãos e os quadrilheiros das quadrilhas juninas são os primeiros segmentos da cultura e do turismo que serão ouvidos pela Prefeitura de Mossoró no processo de elaboração do planejamento do Mossoró Cidade Junina 2022. A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e instituições parceiras iniciaram uma série de oficinas para fazer um diagnóstico e traçar oportunidades de negócios do MCJ, nesta terça-feira (27). Até agosto todas as categorias envolvidas no Cidade Junina participarão dos debates. As discussões permitirão solucionar fragilidades e impulsionar os negócios de uma das maiores festas juninas do país.

O Mossoró Cidade Junina completa 25 anos em 2022 e a previsão é que a edição comemorativa seja presencial, reunindo multidões na maior estrutura de todos os anos. Para preparar e planejar a festa de 25 anos do MCJ, os trabalhos já foram iniciados pela Secretaria de Cultura com apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (SEDAT) por meio de um grupo de trabalho no Conselho Municipal de Turismo, que reúne várias entidades e instituições.

De 27 de julho ao dia 19 de agosto, oito oficinas serão realizadas com participação de artistas, artesãos, empresas do ramo de turismo e hotelaria, vendedores ambulantes, barraqueiros, profissionais do setor de transporte, dentre outros. O objetivo é promover o debate sobre o assunto com as cadeias de cultura e turismo do município. O grupo de trabalho “Negócios para o Mossoró Cidade Junina 2022” reunirá os segmentos diretamente envolvidos no MCJ para definir quais oportunidades de negócios devem ser promovidas no evento, além da identificação de gargalos de edições anteriores que impactam negativamente no Cidade Junina.

“Nesse momento estamos trabalhando com a cadeia produtiva do turismo envolvida no Cidade Junina com objetivo principal é como se dará essa relação do turismo com o Cidade Junina, objetivando capacitar a todos os segmentos que fazem parte desse processo para que a gente tenha um projeto do Cidade Junina 2022 todo atualizado. Com as oportunidades, ameaças, potencialidades e fragilidades. Estamos nesse momento iniciando as oficinas, especialmente hoje com os artesãos e com os quadrilheiros. Identificamos 11 segmentos da cadeia produtiva e realizaremos nas próximas semanas nas terças e quintas-feiras essa formação. Vamos identificar as fragilidades e potencialidades para construir um relatório que será consolidado no âmbito do Conselho Municipal de Turismo para que possamos incluir as sugestões dentro do projeto do Cidade Junina 2022”, explicou o secretário de Cultura Etevaldo Almeida.

As representações de quadrilheiros e artesãos de Mossoró participaram pela primeira vez diretamente do planejamento do Mossoró Cidade Junina. A iniciativa da Prefeitura de Mossoró foi aprovada pelos segmentos.“Eu fiquei feliz pelo convite porque realmente é a primeira vez que participamos. Nós, particularmente, já sofremos um pouco. Nessa área, a Zona Rural nunca teve o apoio necessário. O pessoal da comunidade e da quadrilha ficaram felizes quando soube da iniciativa porque realmente é a primeira vez que chama para debater, discutir e ver as propostas do evento. É importante e já demonstra uma organização da atual gestão com a Zona Rural”, afirmou Ademis da Silva, diretor e marcador da quadrilha Arraiá Pura Emoção, do Assentamento Jurema.

Ademis da Silva da quadrilha Pura Emoção aprovou iniciativa de ouvir os segmentos do turismo e cultura no planejamento do MCJ (Foto: Wilson Moreno/PMM)
Francisco Soares, marcador da Quadrilha Luar do Sertão do Jucuri, destacou que as quadrilhas juninas da Zona Rural precisam ser valorizadas e ter mais visibilidade no Cidade Junina, incluindo a Festa da Colheita. “Jucuri faz a Festa da Colheita. Ficamos honrados do secretário de Cultura nós convidar para reunião para gente olhar os deveres e direitos. Porque as dificuldades são grandes, mas fazemos quadrilhas porque amamos. Uma cultura que não podemos apagar a memória. O Mossoró Cidade Junina é muito importante”, disse Francisco Soares.

A Comissão do Artesanato de Mossoró, que representa mais 100 artesãos, também participou da oficina de planejamento do MCJ realizada no Sebrae-RN. Maria de Fátima do Nascimento aprovou a inclusão das categorias no planejamento do evento, garantindo participação no planejamento do Cidade Junina.

“Eu achei uma excelente ideia de ter chamado a gente para participar dessa oficina porque a gente nunca foi chamado ou convidado para participar de nada. Sempre quando tinha um evento que os artesãos eram convidados, nós não tínhamos direito de opinar, era assim aqui é seu local, pronto e acabou. Então a gente gostou muito da Comissão do Artesanato ter sido chamada para participar para reivindicarmos alguma coisa e ver o que eles têm para nos oferecer”, ressaltou a artesã Maria de Fátima do Nascimento.

Artesã Maria de Fátima do Nascimento afirmou que pela primeira vez os artesãos serão ouvidos (Foto: Wilson Moreno/PMM)
O secretário de Desenvolvimento Econômico e presidente do Conselho Municipal de Turismo, Franklin Filgueira, explicou que essa estratégia é para ouvir os segmentos e captar sugestões para o planejamento que começa neste mês.

“A montagem desse grupo de trabalho que nós estamos abrindo hoje no Sebrae justamente a finalidade de ouvir a classe produtiva do setor do turismo para identificar e sugerir ações que desencadeiem negócios, oportunidades de negócios para segmento do turismo de Mossoró dentro da atividade do Cidade Junina. Então, esse planejamento está sendo feito ouvindo toda a cadeia do turismo e toda a cadeia da cultura para que levante o máximo de informações e tentar viabilizar essas oportunidades de negócios a partir dos eventos culturais possam ser sim transformadas em práticas. A nossa meta é até novembro ter todo o planejamento fechado, os contratos principais de patrocínio também fechados, a organização geral fechada. Para isso, o grupo gestor que envolve praticamente todas as secretarias municipais. A gestão do prefeito Allyson tem deixado claro que antes de definir as coisas quer conversar com as partes envolvidas”, destacou Franklin Filgueira.

O Sebrae-RN, a UERN e a Associação Comercial e Industrial de Mossoró (ACIM) participaram da oficina com a presença da professora Raimunda Maria, da UERN; Oberi Penha, representando a ACIM; Ralph Juliano e Paulo Miranda, do Sebrae-RN.

As oficinas serão realizadas no Sebrae das 8h às 12h nas terças e quintas-feiras, mas poderão ser remanejadas para um local mais amplo (Teatro Municipal Dix-Huit Rosado) em caso do número de participantes ser maior. Todos os protocolos de prevenção a Covid-19 serão seguidos.

CRONOGRAMA DE OFICINAS

Dia 27/07 – Quadrilheiros e artesãos;
Dia 29/07 – Artistas (bailarinos, atores, músicos e pessoal de circo) e profissionais do entretenimento;
Dia 3/08 – Ambulantes e barraqueiros;
Dia 5/08 – Operadoras de turismo, agências de viagens e guias;
Dia 10/08 – Hotéis e pousadas;
Dia 12/08 – Restaurantes e lanchonetes;
Dia 17/08 – Transfers, motoristas de aplicativo de transportes, taxistas e mototaxistas;
Dia 19/08 – Instituições (CDL, ACIM, Fecomércio e Sindivarejo Mossoró Convention & Visitors Bureau – MC&VB).

FONTE: IMPRENSA PMM // TEXTO: Adneison Severiano
Foto: Wilson Moreno/PMM

Compartilhar:




Comentários:

Colunistas